Solução de problemas

Este capítulo oferece algumas dicas sobre como obter ajuda quando algo dá errado. Ele também discute alguns problemas comuns de instalação e suas soluções.

Obtendo ajuda

Existem muitos lugares na Internet que podem ajudá-lo quando você encontrar um problema não descrito neste capítulo: fóruns de discussão, blogs, IRC e muito mais. Alguns dos lugares mais populares onde você pode encontrar ajuda incluem:

  • Ask Fedora - Base de conhecimento do Fedora, disponível em vários idiomas

  • O canal de IRC #fedora no Libera.Chat - um dos principais canais de IRC usados por usuários do Fedora, apenas em inglês

  • Wiki do Projeto Fedora - a wiki oficial do Projeto Fedora

  • Stack Exchange - um quadro de perguntas e respostas em inglês, não específico para o Fedora

A lista acima não está completa - você também pode encontrar ajuda em muitos outros lugares. Informações adicionais sobre os recursos disponíveis, como canais IRC e listas de discussão, estão disponíveis no https://fedoraproject.org/wiki/Communicating_and_getting_help.

Antes de abrir uma nova discussão ou pedir ajuda a alguém no IRC, você deve sempre fazer algumas pesquisas por conta própria. Se você estiver encontrando um problema, geralmente há uma boa chance de que outra pessoa tenha enfrentado o mesmo problema antes de você e publicado uma solução em algum lugar. Abrir uma discussão sobre algo já explicado em outro lugar, ou fazer uma pergunta comum que já foi respondida muitas vezes antes, provavelmente não resultará em uma resposta amigável e construtiva.

Quando você pede ajuda para solucionar problemas relacionados à instalação, pode ser solicitado que você forneça arquivos de log gerados pelo instalador. As seções abaixo explicam quais arquivos são gerados, qual é seu conteúdo e como transferi-los do sistema de instalação.

Arquivos de log gerados durante a instalação

Para fins de depuração, Anaconda registra as ações de instalação em arquivos no diretório /tmp. Esses arquivos estão listados na tabela a seguir.

Table 1. Arquivos de log e seu conteúdo
Arquivo de log Conteúdo

/tmp/anaconda.log

mensagens gerais do Anaconda

/tmp/program.log

todos so programas externos executados durante a instalação

/tmp/storage.log

informações extensas do módulo de armazenamento

/tmp/packaging.log

mensagens de instalação de pacotes do dnf e do rpm

/tmp/syslog

mensagens do sistema relacionadas a hardware

Se a instalação falhar, as mensagens desses arquivos são consolidadas em /tmp/anaconda-tb-identificador, onde identificador é uma string aleatória.

Transferindo arquivos de log do sistema de instalação

Todos os arquivos descritos em Arquivos de log gerados durante a instalação residem no disco de RAM do programa de instalação, o que significa que eles não são salvos permanentemente e serão perdidos quando o sistema for desligado. Para armazená-los permanentemente, copie esses arquivos para outro sistema na rede usando scp no sistema que executa o programa de instalação ou copie-os para um dispositivo de armazenamento montado (como uma unidade flash USB). Detalhes sobre como transferir os arquivos de log estão abaixo. Observe que se você usar uma unidade flash USB ou outra mídia removível, certifique-se de fazer backup de todos os dados contidos nela antes de iniciar o procedimento.

Transferindo arquivos de log para uma unidade USB

  1. No sistema que você está instalando, pressione Ctrl+Alt+F2 para acessar um prompt de shell. Você será conectado a uma conta root e terá acesso ao sistema de arquivos temporários do programa de instalação.

  2. Conecte uma unidade flash USB ao sistema e execute o comando dmesg. Um log detalhando todos os eventos recentes será exibido. Na parte inferior deste log, você verá um conjunto de mensagens causadas pela unidade flash USB que acabou de conectar. Será semelhante a um conjunto de linhas semelhante ao seguinte:

    [  170.171135] sd 5:0:0:0: [sdb] Attached SCSI removable disk

    Observe o nome do dispositivo conectado - no exemplo acima, é sdb.

  3. Vá para o diretório /mnt e, uma vez lá, crie um novo diretório que servirá como alvo de montagem para a unidade USB. O nome do diretório não importa; este exemplo usa o nome usb.

    # mkdir usb
  4. Monte a unidade flash USB no diretório recém-criado. Observe que, na maioria dos casos, você não deseja montar a unidade inteira, mas sim uma partição nela. Portanto, não use o nome sdb - use o nome da partição na qual deseja gravar os arquivos de log. Neste exemplo, o nome sdb1 é usado.

    # mount /dev/sdb1 /mnt/usb

    Agora você pode verificar se montou o dispositivo e a partição corretos acessando-os e listando seu conteúdo - a lista deve corresponder ao que você espera que esteja na unidade.

    # cd /mnt/usb
    # ls
  5. Copie os arquivos de log para o dispositivo montado.

    # cp /tmp/*log /mnt/usb
  6. Desmonte a unidade flash USB. Se você receber uma mensagem de erro dizendo que o destino está ocupado, mude seu diretório de trabalho para fora da montagem (por exemplo, /).

    # umount /mnt/usb

Os arquivos de log da instalação agora estão salvos na unidade flash USB.

Transferindo arquivos de log pela rede

  1. No sistema que você está instalando, pressione Ctrl+Alt+F2 para acessar um prompt de shell. Você será conectado a uma conta root e terá acesso ao sistema de arquivos temporários do programa de instalação.

  2. Mude para o diretório /tmp onde os arquivos de log estão localizados:

    # cd /tmp
  3. Copie os arquivos de log em outro sistema na rede usando o comando scp:

    # scp *log usuário@endereço:caminho

    Substitua usuário por um nome de usuário válido no sistema de destino, endereço pelo endereço do sistema de destino ou nome do host e caminho pelo caminho para o diretório no qual deseja salvar os arquivos de log. Por exemplo, se você deseja se logar como john em um sistema com um endereço IP 192.168.0.122 e colocar os arquivos de log no diretório /home/john/logs/ nesse sistema, o comando irá tem a seguinte forma:

    # scp *log john@192.168.0.122:/home/john/logs/

    Ao conectar-se ao sistema de destino pela primeira vez, você pode encontrar uma mensagem semelhante à seguinte:

    The authenticity of host '192.168.0.122 (192.168.0.122)' can't be established.
    ECDSA key fingerprint is a4:60:76:eb:b2:d0:aa:23:af:3d:59:5c:de:bb:c4:42.
    Are you sure you want to continue connecting (yes/no)?

    Digite sim e pressione Enter para continuar. Em seguida, forneça uma senha válida quando solicitado. Os arquivos começarão a ser transferidos para o diretório especificado no sistema de destino.

Os arquivos de log da instalação agora são salvos permanentemente no sistema de destino e disponíveis para revisão.

Problema em começar a instalação

Problemas em inicializar para a instalação gráfica

Sistemas com algumas placas de vídeo têm problemas para inicializar com o programa de instalação gráfica. Se o programa de instalação não for executado com as configurações padrão, ele tentará ser executado em um modo de resolução inferior. Se isso ainda falhar, o programa de instalação tentará ser executado no modo de texto.

Existem várias soluções possíveis para os problemas de exibição, a maioria das quais envolve a especificação de opções de inicialização personalizadas. Para obter mais informações, consulte Configurando o sistema de instalação no menu de inicialização.

Usar o modo gráfico básico

Você pode tentar realizar a instalação usando o driver gráfico básico. Para fazer isso, edite as opções de inicialização do programa de instalação e acrescente inst.xdriver=vesa no final da linha de comando.

Especificar a resolução de tela manualmente

Se o programa de instalação falhar em detectar a resolução da tela, você pode ignorar a detecção automática e especificá-la manualmente. Para fazer isso, acrescente a opção inst.resolution=x no menu de inicialização, onde x é a resolução de sua tela (por exemplo, 1024x768).

Usar um driver de vídeo alternativo

Você também pode tentar especificar um driver de vídeo personalizado, substituindo a detecção automática do programa de instalação. Para especificar um driver, use a opção inst.xdriver=x, onde x é o driver de dispositivo que você deseja usar (por exemplo, nouveau).

Se especificar um driver de vídeo personalizado resolve seu problema, você deve reportar como um bug em https://bugzilla.redhat.com sob o componente anaconda. O Anaconda deve ser capaz de detectar seu hardware automaticamente e usar o driver apropriado sem sua intervenção.

Realizar a instalação usando VNC

Se as opções acima falharem, você pode usar um sistema separado para acessar a instalação gráfica pela rede, usando o protocolo Virtual Network Computing (VNC). Para obter detalhes sobre a instalação usando VNC, veja Instalando usando VNC.

Console serial não detectado

Em alguns casos, tentar instalar em modo de texto usando um console serial não resultará em nenhuma saída no console. Isso acontece em sistemas que possuem uma placa gráfica, mas nenhum monitor conectado. Se o Anaconda detectar uma placa gráfica, ele tentará usá-la para um monitor, mesmo se nenhum monitor estiver conectado.

Se você deseja realizar uma instalação baseada em texto em um console serial, use o opções de inicialização inst.text e console=. Veja Opções de inicialização para obter mais detalhes.

Problema durante a instalação

Nenhum disco detectado

Na tela Destino da instalação, a seguinte mensagem de erro pode aparecer na parte inferior: Nenhum disco detectado. Desligue o computador, conecte pelo menos um disco e reinicie para completar a instalação.

A mensagem indica que o Anaconda não encontrou nenhum dispositivo de armazenamento gravável para instalar. Nesse caso, primeiro certifique-se de que seu sistema tenha pelo menos um dispositivo de armazenamento conectado.

Se o seu sistema usa um controlador RAID de hardware, verifique se o controlador está configurado corretamente e funcionando. Consulte a documentação do seu controlador para obter instruções.

Se você estiver instalando em um ou mais dispositivos iSCSI e não houver armazenamento local presente no sistema, certifique-se de que todos os LUNs (Logical Unit Numbers) necessários estão sendo apresentados ao HBA (Host Bus Adapter) apropriado.

Se você se certificou de que tem um dispositivo de armazenamento conectado e configurado corretamente e a mensagem ainda aparece após você reinicializar o sistema e iniciar a instalação novamente, isso significa que o programa de instalação falhou ao detectar o armazenamento. Na maioria dos casos, essa mensagem aparece quando você tenta instalar em um dispositivo SCSI que não foi reconhecido pelo programa de instalação.

Problemas após a instalação

Redefinindo a senha do root

Se você perdeu a senha do usuário root para o sistema e tem acesso ao carregador de inicialização, pode redefinir a senha editando a configuração do GRUB2.

Redefinindo a senha do root
  1. Inicialize seu sistema e espere até que o menu GRUB2 apareça.

  2. No menu do carregador de inicialização, destaque qualquer entrada e pressione e para editá-la.

  3. Encontre a linha que começa com linux`. No final desta linha, acrescente o seguinte:

    init=/bin/sh
  4. Pressione F10 ou Ctrl+X para inicializar o sistema usando as opções que você acabou de editar.

    Assim que o sistema inicializar, será apresentado um prompt de shell sem a necessidade de inserir qualquer nome de usuário ou senha:

    sh-4.2#
  5. Carregue a política SELinux instalada:

    sh-4.2# /usr/sbin/load_policy -i
  6. Execute o seguinte comando para remontar sua partição raiz:

    sh4.2# mount -o remount,rw /
  7. Redefina a senha de root:

    sh4.2# passwd root

    Quando solicitado, insira sua nova senha de root e confirme pressionando a tecla Enter. Digite a senha pela segunda vez para certificar-se de que digitou corretamente e confirme com Enter novamente. Se as duas senhas corresponderem, aparecerá uma mensagem informando sobre a alteração bem-sucedida da senha do root.

  8. Remonte a partição raiz novamente, desta vez como somente leitura:

    sh4.2# mount -o remount,ro /
  9. Reinicialize o sistema. De agora em diante, você poderá fazer login como usuário root usando a nova senha configurada durante este procedimento.

Você não consegue inicializar com a placa RAID?

Se você executou uma instalação e não consegue inicializar o sistema adequadamente, pode ser necessário reinstalar e particionar o armazenamento do sistema de forma diferente.

Alguns tipos de BIOS não suportam inicialização a partir de placas RAID. Depois de terminar a instalação e reiniciar o sistema pela primeira vez, uma tela baseada em texto mostrando o prompt do carregador de inicialização (por exemplo, grub>) e um cursor piscando pode ser tudo o que aparece. Se este for o caso, você deve reparticionar seu sistema e mover sua partição /boot e o carregador de inicialização para fora do arranjo RAID. A partição /boot e o carregador de inicialização devem estar no mesmo drive.

Assim que essas alterações forem feitas, você poderá terminar a instalação e inicializar o sistema corretamente. Para obter mais informações sobre particionamento, veja Destinação da instalação.

Problemas com a sequência de inicialização gráfica

Depois de concluir a instalação e reinicializar o sistema pela primeira vez, é possível que o sistema pare de responder durante a sequência de inicialização gráfica, exigindo uma reinicialização. Nesse caso, o carregador de inicialização é exibido com sucesso, mas selecionar qualquer entrada e tentar inicializar o sistema resulta em uma parada. Isso geralmente significa um problema com a sequência de inicialização gráfica; para resolver este problema, você deve desativar a inicialização gráfica. Para fazer isso, altere temporariamente a configuração no momento da inicialização antes de alterá-la permanentemente.

Desabilitando temporariamente a inicialização gráfica
  1. Inicie o computador e espere até que o menu do carregador de inicialização apareça. Se você definir o tempo limite do carregador de inicialização para 0, mantenha pressionada a tecla Esc para acessá-lo.

  2. Quando o menu do carregador de inicialização aparecer, use as teclas do cursor para destacar a entrada que deseja inicializar e pressione a tecla e para editar as opções dessa entrada.

  3. Na lista de opções, encontre a linha do kernel - ou seja, a linha que começa com a palavra-chave linux (ou, em alguns casos,linux16 ou linuxefi). Nesta linha, localize a opção rhgb e exclua-a. A opção pode não estar imediatamente visível; use as teclas do cursor para rolar para cima e para baixo.

  4. Pressione F10 ou Ctrl+X para inicializar seu sistema com as opções editadas.

Se o sistema foi iniciado com sucesso, você pode fazer o login normalmente. Em seguida, você precisará desabilitar a inicialização gráfica permanentemente - caso contrário, você terá que realizar o procedimento anterior toda vez que o sistema for inicializado. Para alterar permanentemente as opções de inicialização, faça o seguinte.

Desabilitando permanentemente a inicialização gráfica
  1. Autentique-se na conta root usando o comando su -:

    $ su -
  2. Abra o arquivo de configuração /etc/default/grub usando um editor de texto simples como vim.

  3. Dentro do arquivo grub, localize a linha que começa com GRUB_CMDLINE_LINUX. A linha deve ser semelhante a esta:

    GRUB_CMDLINE_LINUX="rd.lvm.lv=rhel/root rd.md=0 rd.dm=0 vconsole.keymap=us $([ -x /usr/sbin/rhcrashkernel-param ] && /usr/sbin/rhcrashkernel-param || :) rd.luks=0 vconsole.font=latarcyrheb-sun16 rd.lvm.lv=vg_rhel/swap rhgb quiet"

    Nesta linha, exclua a opção rhgb.

  4. Salve o arquivo de configuração editado.

  5. Atualize a configuração do carregador de inicialização executando o seguinte comando:

    # grub2-mkconfig --output=/boot/grub2/grub.cfg

Depois de concluir este procedimento, você pode reinicializar o computador. O Fedora não usará mais a sequência de inicialização gráfica. Se você deseja habilitar a inicialização gráfica, siga o mesmo procedimento, adicione a opção rhgb à linha GRUB_CMDLINE_LINUX no arquivo /etc/default/grub e atualize a configuração do carregador de inicialização novamente usando o comando grub2-mkconfig.

Veja o [citetitle]]Guia do Administrador do Sistema Fedora para mais informações sobre trabalhar com o carregador de inicialização GRUB2.

Inicializando em um ambiente gráfico

Se você instalou o X Window System e um ambiente gráfico como o GNOME, mas não está vendo um ambiente gráfico depois de iniciar a sessão em seu sistema, pode iniciá-lo manualmente usando o comando startx. Observe, no entanto, que esta é apenas uma correção única e não altera o processo de início de sessão para situações futuras.

Para configurar seu sistema de forma que você possa efetuar login em uma tela de login gráfica, você deve alterar o destino padrão systemd para graphical.target. Quando terminar, reinicie o computador. Será apresentado um prompt gráfico de login após a reinicialização do sistema.

Configurando login gráfico como padrão
  1. Abra um prompt de shell. Se você estiver em sua conta de usuário, torne-se root digitando o comando su -.

  2. Mude o destino padrão para graphical.target. Para fazer isso, execute o seguinte comando:

    # systemctl set-default graphical.target

O login gráfico agora está habilitado por padrão - será apresentado um prompt gráfico de login após a próxima reinicialização. Se você deseja reverter essa mudança e continuar usando o prompt de login baseado em texto, execute o seguinte comando como root:

# systemctl set-default multi-user.target

Para mais informações sobre alvos em systemd, veja o xref:fedora:system-administrators-guide:index.adoc[Guia do Administrador do Sistema Fedora.

Nenhuma interface gráfica de usuário presente

Se você estiver tendo problemas para iniciar o X (o X Window System), é possível que ele não tenha sido instalado. Alguns dos ambientes básicos predefinidos que você pode selecionar durante a instalação, como Instalação mínima ou Servidor Web, não incluem uma interface gráfica - deve ser instalado manualmente.

Se você deseja o X, pode instalar os pacotes necessários após a instalação usando o gerenciador de pacotes DNF. Por exemplo, para instalar o GNOME, use dnf install gnome-shell como root.

Falha do servidor X após o login do usuário

Se você estiver tendo problemas com o travamento do servidor X quando um usuário efetuar login, um ou mais de seus sistemas de arquivos podem estar cheios (ou quase cheios). Para verificar se este é o problema que você está enfrentando, execute o seguinte comando:

$ df -h

A saída o ajudará a diagnosticar qual partição está cheia - na maioria dos casos, o problema estará na partição /home. Um exemplo de saída do comando df pode ser semelhante ao seguinte:

Sist. Arq.                                  Tam  Usado Disp. Uso% Montando em
/dev/mapper/vg_rhel-root                     20G  6.0G   13G  32% /
devtmpfs                                    1.8G     0  1.8G   0% /dev
tmpfs                                       1.8G  2.7M  1.8G   1% /dev/shm
tmpfs                                       1.8G 1012K  1.8G   1% /run
tmpfs                                       1.8G     0  1.8G   0% /sys/fs/cgroup
tmpfs                                       1.8G  2.6M  1.8G   1% /tmp
/dev/sda1                                   976M  150M  760M  17% /boot
/dev/dm-4                                    90G   90G     0 100% /home

No exemplo acima, você pode ver que a partição /home está cheia, o que causa o travamento. Você pode criar espaço na partição removendo arquivos desnecessários. Depois de liberar algum espaço em disco, inicie o X usando o comando startx.

Para obter informações adicionais sobre df e uma explicação das opções disponíveis (como a opção -h usada neste exemplo), consulte a página do manual df(1).

A sua RAM não está sendo reconhecida?

Em alguns casos, o kernel não reconhece toda a sua memória (RAM), o que faz com que o sistema use menos memória do que a instalada. Você pode descobrir quanta RAM está sendo utilizada usando o comando free -m. Se a quantidade total de memória exibida não corresponder às suas expectativas, é provável que pelo menos um dos módulos de memória esteja com defeito. Em sistemas baseados em BIOS, você pode usar o utilitário Memtest86+ para testar a memória do seu sistema - veja Carregando o modo de teste de memória (RAM) para detalhes.

Se você tem 4 GB ou mais de memória instalada, mas Fedora mostra apenas 3,5 GB ou 3,7 GB, você provavelmente instalou uma versão de 32 bits do Fedora em um kernel de 64 bits. Para sistemas modernos, use a versão de 64 bits (x86_64).

Algumas configurações de hardware têm uma parte da RAM do sistema reservada e indisponível para o sistema principal. Notavelmente, os laptops com placas gráficas integradas reservam alguma memória para a GPU. Por exemplo, um laptop com 4 GB de RAM e uma placa de vídeo Intel integrada mostrará apenas cerca de 3,7 GB de memória disponível, mesmo com um sistema de 64 bits.

Além disso, o mecanismo de despejo do kernel de travamento do kdump reserva alguma memória para o kernel secundário usado no caso de travamento do kernel primário. Esta memória reservada também não será exibida como disponível ao usar o comando free. Para detalhes sobre o kdump e seus requisitos de memória, veja o xref:fedora:system-administrators-guide:index.adoc[Guia do Administrador do Sistema Fedora.

Se você se certificou de que sua memória não tem problemas, você pode tentar definir a quantidade de memória manualmente usando a opção de kernel mem=.

Configurando a memória manualmente
  1. Inicie o computador e espere até que o menu do carregador de inicialização apareça. Se você definir o tempo limite do carregador de inicialização para 0, mantenha pressionada a tecla Esc para acessá-lo.

  2. Quando o menu do carregador de inicialização aparecer, use as teclas do cursor para destacar a entrada que deseja inicializar e pressione a tecla e para editar as opções dessa entrada.

  3. Na lista de opções, encontre a linha do kernel - ou seja, a linha que começa com a palavra-chave linux (ou, em alguns casos, linux16). Anexe a seguinte opção ao final desta linha:

    mem=xxM

    Substitua xx pela quantidade de RAM que você tem em megabytes.

  4. Pressione F10 ou Ctrl+X para inicializar seu sistema com as opções editadas.

  5. Aguarde até que o sistema inicialize e faça login. Em seguida, abra uma linha de comando e execute o comando free -m novamente. Se a quantidade total de RAM exibida pelo comando corresponder às suas expectativas, anexe o seguinte à linha que começa com GRUB_CMDLINE_LINUX no arquivo /etc/default/grub para tornar a mudança permanente:

    mem=xxM

    Substitua xx pela quantidade de RAM que você tem em megabytes.

  6. Depois de atualizar o arquivo e salvá-lo, atualize a configuração do carregador de inicialização para que a alteração tenha efeito. Execute o seguinte comando com privilégios de root:

    # grub2-mkconfig --output=/boot/grub2/grub.cfg

No /etc/default/grub, o exemplo acima seria semelhante ao seguinte:

GRUB_TIMEOUT=5
GRUB_DISTRIBUTOR="$(sed 's, release.*$,,g' /etc/system-release)"
GRUB_DEFAULT=saved
GRUB_DISABLE_SUBMENU=true
GRUB_TERMINAL_OUTPUT="console"
GRUB_CMDLINE_LINUX="rd.lvm.lv=rhel/root vconsole.font=latarcyrheb-sun16 rd.lvm.lv=rhel/swap $([ -x /usr/sbin/rhcrashkernel.param ] && /usr/sbin/rhcrashkernel-param || :) vconsole.keymap=us rhgb quiet mem=1024M"
GRUB_DISABLE_RECOVERY="true"

Veja o [citetitle]]Guia do Administrador do Sistema Fedora para mais informações sobre trabalhar com o carregador de inicialização GRUB2.